Páginas

A hora certa de começar a estudar

01 outubro 2014
A nossa conversa de hoje é sobre a importância de você, candidato, não esperar a publicação de um edital para começar a estudar. Pense que, sempre que a preparação começa antes da grande maioria – e essa maioria tende a esperar a publicação do edital –, se sai na frente dos demais, ou seja, ganha-se um tempo precioso no processo.

Provas de concursos anteriores são sempre uma “bússola” que pode guiar, orientar você pelos caminhos a seguir. Fazer exercícios é indispensável para quem luta por uma vaga não só na administração pública, mas em vestibulares, por exemplo. Como passar sem saber como podem ser as questões exigidas?

Além disso, há disciplinas que são básicas a todos os concursos. Você pode até pensar que, desta vez, eu é que estou enganado, mas, acredite, não estou! Você já viu ou tomou conhecimento de alguma prova sem português? Pois bem, é uma disciplina básica, então. Iniciar os estudos por ela pode ser uma boa forma de ir “eliminando” disciplinas e, quando o edital sair, ser “menos uma” para você esquentar a sua cabeça. Talvez, alguns ajustes de acordo com a banca ou conteúdo exigido, mas o básico já será conhecimento adquirido. Sem contar que dominar a interpretação de textos é tiro certo para quem quer fazer uma excelente prova. Já verificou que em toda a prova é cobrada interpretação de textos? Seja na parte de direito, seja na parte de informática. Até nas matérias exatas a interpretação tem estar afiada.

Um grande conselho para você, candidato, é que nunca desista. Não existe candidato que não consiga um emprego público, o que existe é o candidato que desiste antes de alcançar seu sonho. Com perseverança e a certeza de que tudo faz parte do aprendizado, você não esmorecerá e a vaga estará garantida. É sempre uma questão de tempo. Faça a sua parte, estudando, empenhando-se, que o resultado não poderá ser outro diferente da aprovação, cujo merecimento será medido na prova. É uma questão lógica! O emprego público depende única e exclusivamente do candidato e o tempo necessário para ter o sonho realizado depende de cada um.

De qualquer forma, temos excelentes concursos em andamento também como você mesmo pode acompanhar nas notícias.

Seja lá qual for a sua opção, a hora é essa. Não adie mais a oportunidade de ter um bom emprego e ganhar bem.
Fonte: Folha Dirigida
Leia Mais...

Um sonho em etapas

24 setembro 2014
O sonho de ingressar no serviço público, para ser concretizado, precisa de alguns cuidados e regras que muitos candidatos desconhecem. Para haver diferença entre você e o seu concorrente, não basta comprar um monte de apostilas e estudar o dia inteiro, imaginando que o esforço será satisfatório. Não, não é, e a possibilidade de você não obter êxito é bem grande.

Milhares de candidatos buscam, a cada autorização de concurso anunciada ou edital lançado, uma vaga no serviço público. São homens e mulheres, de todas as idades, em busca de bons salários, estabilidade no emprego e a certeza de uma aposentadoria tranquila. No entanto, o “concurseiro” que realmente pretende se preparar bem deve seguir etapas, que vão desde a decisão pela área a ser estudada aos simulados, considerada a fase final de todo o processo que antecede as provas.

Quando ele decide estudar para concurso público, deu o passo fundamental, vislumbra o próprio futuro, mas não é tudo. É preciso que esse candidato, antes de mais nada, escolha a área que vai estudar para se debruçar sobre o conteúdo básico, aquele que será cobrado dentro de uma área específica, como fiscal ou bancária, por exemplo, independente do concurso que optar mais adiante. Seguindo esse primeiro passo, o de conhecimento das disciplinas básicas, ele terá uma boa base para quando sair o concurso pretendido.

Depois, é estudar o conteúdo específico exigido no edital. Com a publicação, o candidato poderá fazer um curso complementar, com os conteúdos que são novidade para ir se aprofundando nas disciplinas específicas, aquelas que não constam de conteúdos básicos.

Na etapa seguinte, é a hora de aplicar o que foi aprendido dentro da sala de aula, fazer exercícios de provas anteriores da mesma banca organizadora do concurso para o qual vem se preparando. Assim, o candidato saberá como aquela determinada banca exigiu aquele conteúdo naquela prova e até mesmo o que mais costuma cobrar ou não em cada disciplina.

Porém, nem mesmo após ter feito todas as provas anteriores o candidato pode pensar que chegou ao final da maratona. É quando deverá voltar suas atenções para os simulados. Eles darão a exata ideia de como será a "prova de verdade”, o processo de seleção, porque as questões são elaboradas por professores nos moldes da banca organizadora. Assim, o aluno poderá participar da experiência de se sentir como em um dia de prova: ele terá quatro horas para responder o mesmo número de questões que será exigido no concurso, com marcação de cartão-resposta.

É basicamente a simulação de uma prova. Mas para chegar a essa etapa, aconselho que o candidato não pule as demais, porque atropelaria todo o processo: primeiro estudar a teoria, fazendo uma turma básica ou estudando sozinho em casa; treinar a banca com exercícios e depois se preparar para qualquer prova que possa cair na mão dele. Assim, o candidato – que pode ser você! -  vai estar na frente dos demais que não fizeram simulados.

Quando um edital é publicado, eu tenho o costume de entrar em sala de aula e perguntar quem já leu o edital. Num universo de 200 pessoas, se 10 levantam a mão, é muito. Antigamente, eu me espantava. Mas, com o passar do tempo, vi que isso é questão de cultura. De fato, não é uma das melhores leituras, mas é de fundamental importância. É importante ler o edital com atenção para conhecer as regras do concurso; nele estarão todas as informações que você precisa para garantir sua inscrição e orientar seus estudos. Outra dica é examinar a sua rotina diária e definir os horários que dedicará ao estudo para ter organização e tranquilidade suficientes quando estiver entre os livros e apostilas.

Lembre-se que o desejo de ingressar em um órgão público multiplicou-se na mesma proporção que a dificuldade de conquistar bons empregos na iniciativa privada. As instituições governamentais oferecem salários, em geral, superiores aos pagos pelos outros setores, além da estabilidade oferecida. O número de inscritos em concursos públicos aumenta a cada ano, surpreendendo até as estatais e fundações que abrem as seleções. É gente que acredita que sonhos se transformam em realidade e que dependem apenas do esforço pessoal de cada um.

Bons estudos!
Fonte: Folha Dirigida
Leia Mais...

Preparação e organização - passos para se alcançar uma vaga no serviço público

17 setembro 2014
Diariamente milhares de interessados em uma vaga no serviço público se amontoam em salas de aula, em bibliotecas, bancas de jornais em busca da última informação sobre um concurso, mas um grande diferencial separa cada um desses candidatos: a preparação. Sim, é a preparação que fará a diferença, inclusive para quem pretende enfrentar a disputa por mais de um concurso simultaneamente. O primeiro passo pode parecer antagônico, mas não é: o candidato deve fazer uma relação e “separar” todas as atividades que tem. Mas... Como?

Em primeiro lugar, o programa de estudo. Este, sim, é o mais importante porque, se a pessoa não organizá-lo, acabará não estudando. A partir dessa constatação, faça uma agenda da semana, com todas as atividades “imutáveis”, ou seja, aquelas que você não pode mexer, como o horário da faculdade e do trabalho, por exemplo. Isso o fará organizar seu tempo.

Em segundo lugar, coloque as atividades de lazer. Há quem acredite que é necessário “parar tudo” e só estudar. Não é verdade! Não podemos fazer isso porque o lazer é o combustível da maratona! Também a prática espiritual, seja qual for a religião do candidato, é combustível. Ou seja: lazer é combustível para a mente; exercício físico, para o corpo; e a prática espiritual, para o espírito, como o nome diz. É necessário, portanto, reservar esses espaços em primeiro lugar.

O que você pode fazer é diminuir a duração de cada etapa. Em vez de ficar na academia de ginástica por três horas, fique somente uma hora. Em vez de ficar na praia o dia inteiro aos domingos, permaneça apenas pela manhã. Fora isso, o que vai acontecer? Vai sobrar um monte de espaços livres! Esses espaços livres deverão ser preenchidos com estudo. A pessoa que está tranquila porque cumpriu as atividades de obrigação – trabalho e estudo – e as outras consideradas prioritárias  - cuidar do corpo, da mente e do espírito – pode se dedicar completamente aos estudos.

Aí, nessa hora, como a prova é multidisciplinar, nada de estudar Língua Portuguesa, por exemplo, até esgotar a matéria. Tem gente que faz isso! Cada dia, uma matéria diferente deve ser estudada porque a prova vai exigir conhecimento de várias disciplinas. Se você estudar uma disciplina inteira, quando passar para a segunda já terá esquecido a primeira. Diariamente, é importante estar em contato com um conteúdo, e definir a hora daquele dia para isso, dentro daquele cronograma. Assim, o candidato terá tranquilidade, já que programou os estudos, e vai conseguir tocar a vida normalmente, estudando uma disciplina por dia.

Estudar requer, de preferência, muita antecedência. Antes mesmo de sair o edital do concurso é bom começar a se preparar para as provas, até porque do edital para as provas o intervalo não é muito grande para quem pretende estar seguro do que estudou.

Sendo assim, se você programou o estudo, fez a separação das atividades e começou a estudar com antecedência, só não vai passar se parar de estudar. Isso é o mesmo que dizer que ou a pessoa vai parar de estudar ou ela vai passar; não existe uma terceira opção.

Formar um grupo de estudo também é muito importante para o candidato. Claro que há pessoas autodidatas. Nesse caso, é melhor estudar sozinho. Mas um grupo sempre motiva! As pessoas vão incentivando mais as outras. Também é uma tendência uma pessoa gostar mais de uma matéria do outra e, normalmente, quando estuda sozinha, tende a se dedicar mais ao que gosta. Assim, estudando em grupo, um candidato “força” o outro a estudar todo o conteúdo que será exigido no concurso porque as pessoas gostam de disciplinas diferentes. Costumo dizer que concurso se estuda até passar. Essa é a “receita”. Bons estudos

Fonte: Folha Dirigida, Cláudia Jones
Leia Mais...

A banca mudou, e agora?

11 setembro 2014
Durante a preparação para um concurso público costumo dizer ao candidato que é muito importante que ele faça questões de provas anteriores da banca organizadora do concurso para saber como ela funciona. Há aquelas que têm enunciado curto e direto, outras apresentam questões mais elaboradas, e ainda aquelas que uma questão errada pode anular uma certa e assim sucessivamente. No entanto, o inesperado pode acontecer com a publicação do edital e a banca do concurso anterior – aquela pela qual o candidato vinha se preparando – ser substituída. E aí?

Numa situação dessas, claro que o conhecimento não será jogado fora, mas o primeiro passo é você conhecer a nova banca. Sendo assim, aqui vão algumas dicas importantes.

O Cespe/UNB é uma banca que tem preferência por determinados conteúdos e abordagens. Normalmente não cobra todos os itens do edital. As questões são muito bem elaboradas, com questões de “certo” ou “errado”. Mas atenção porque errando uma questão, uma certa é anulada.

Na Esaf, há uma preferência por determinados conteúdos. A resolução de provas anteriores é fundamental para direcionar o candidato para os conteúdos mais frequentes. As questões são, normalmente, bem elaboradas, com grau de dificuldade de médio para alta. Questões literais, “letra de lei”, podem ser encontradas, mas costumam ser poucas.

A FCC tem por hábito distribuir, na medida do possível, as questões por todos os itens do edital. A prova tem preferência por questões literais, “letra da lei”.

Já a Cesgranrio distribui, na medida do possível, as questões por todos os itens do edital. Se o candidato tiver dificuldade de obter questões dessa banca pode substituí-las pelas questões da FCC. As bancas trabalham de forma muito parecida.

E, por fim, a FunRio, banca relativamente nova nos grandes concursos. Ela vem cobrando questões literais, “letra da lei”, e as questões apresentam longos e complexos enunciados. O candidato deve evitar perder muito tempo nas questões, resolvendo as mais fáceis e menores primeiro.

Mas, é claro, que para um bom resultado, o candidato deve intensificar o treinamento por questões anteriores, pois só assim, conseguirá um bom êxito!


Bons estudos!

Fonte: Folha Dirigida, Cláudia Jones
Leia Mais...

Preparação: Resiliência é vital para cruzar o caminho até a aprovação

10 setembro 2014

Eduardo Shinyashiki:

confiança e equilíbrio são fatores indispensáveis aos concurseiros


A caminhada de um concurseiro tem como destino final a sonhada classificação. Contudo, raramente esse objetivo é alcançado logo de cara, na primeira investida. Passar em concurso exige tempo, acúmulo de experiências e de conhecimento. Neste percurso, há desvios, imprevistos e frustrações. Reprovações. Por isso mesmo, tão importante quanto manter os estudos em dia, é preservar a autoconfiança e a capacidade de recomeçar. Ou, como diz um antigo samba, "levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima". Quase nunca há tempo suficiente para se lamentar ou choramingar. É preciso ter equilíbrio emocional. Estar atento à próxima prova, ao desafio seguinte. Tecnicamente, ou melhor, psicologicamente, tal capacidade de resistência, recuperação e superação, responde pelo nome de 'resiliência'.

É o que explica o consultor organizacional, palestrante e especialista em desenvolvimento das Competências de Liderança e Preparação de Equipes, Eduardo Shinyashiki. Em entrevista ele falou um pouco sobre a importância da resiliência no campo dos concursos. Segundo ele, "resiliência é a capacidade de nos mantermos focados, de perseverar e de ir em busca de nossos objetivos. Não está nem um pouco ligada com resignação e nem com conformação. Está conectada muito mais ao sentimento de confiança e de autoeficácia".

De acordo com Eduardo, a ausência de resiliência faz com que a pessoa coloque atenção em tudo o que não é muito importante. "Ela se torna extremamente reativa. Por exemplo, a ponta do lápis quebrou. A pessoa sem relisiência entra imediatamente em desespero. Não pensa, ótimo, vou pedir um lápis para alguém", informa. Para aqueles que pensam que isso é algo que não pode ser adquirido, o especialista revela que qualquer indivíduo pode aprender a ter a capacidade de superar com autoconfiança os obstáculos. Sendo que, para ele, os candidatos podem utilizar as respostas negativas para a obtenção desta capacidade. "Nós temos que aceitar o erro como parte integrante do nosso caminho. Não aceitar como uma forma de se resignar, mas como uma maneira de aprender e a de melhorar. Não é porque algo não deu certo, que é o final do caminho. Temos que pensar que se não passei no concurso, é porque ainda não cheguei no resultado que eu desejo".



Para tentar evitar o medo e a insegurança, ele recomenda: "pense sempre se as decisões tomadas por você são realmente suas ou se é o medo e a incerteza falando. Esse autoquestionamento não é uma autocrítica, mas são perguntas feitas para tentar obter as melhores decisões. Tudo o que acontece na vida ocorre para nos fortalecer, nos deixar melhores e preparados para aquilo que está por vir". Como uma mensagem de otimismo para os que almejam um cargo público, ele orienta: "mantenha o foco no que você deseja, seja responsável, assuma o compromisso de não transferir a responsabilidade para ninguém, seja comprometido com você mesmo, perseverante e flexível. A conquista entra em nossos caminhos quando passamos a pensar que merecemos tudo que a vida têm para nos oferecer".

Por Bibianna Teodori

Saber atuar sob pressão, responder rapidamente em momentos de crise, demonstrar criatividade e encontrar soluções, mesmo com poucos recursos, não são tarefas fáceis. Mas hoje, mais do que nunca, é justamente este perfil de profissional que o mercado de trabalho valoriza. Para quem não sabe, as citadas acima são algumas características da resiliência, um conceito que vem da física e que está tão em alta. Originalmente, a resiliência se refere à capacidade que alguns materiais têm de acumular energia quando submetidos à pressão e, depois de absorver o impacto, voltar ao estado original sem deformação, como se fosse um elástico. No comportamento humano, a resiliência é a habilidade de se adaptar e superar adversidades, situações estressantes. Isso de forma saudável, construtora, sem ser afetado por elas de modo negativo, permanente. Em outras palavras, uma pessoa resiliente é aquela que:

- Tem energia e disposição para enfrentar dificuldades em vez de se deixar abater;
- É capaz de atuar com competência, mesmo sob forte pressão;
- Antecipa crises, prevê obstáculos e se prepara para lidar com eles;
- Tem atitudes positivas, realistas e firmeza de objetivos;
- Recupera-se mais rapidamente após sofrer revezes e não muda sua essência depois de passar por experiências difíceis.

Desenvolver a resiliência é fundamental para enfrentar os desafios pessoais e profissionais. E também para ser bem-sucedido profissionalmente, uma vez que a pressão por resultados, as mudanças e as crises são constantes. No mundo atual, quanto mais resiliente for o profissional, maior será sua vantagem competitiva. E maior será sua capacidade de lidar com tudo isso e ainda manter ou aumentar seu bem-estar, além de encontrar mais satisfação. Confira 7 passos para você elevar a resiliência:

1) Mantenha o foco no futuro. Olhe para frente e não se prenda ao passado.
2) Mantenha-se motivado. Lute por seus sonhos e objetivos. Quem trabalha por seus ideais não tem tempo para chorar mágoas.
3) Invista em seus relacionamentos. Eles são uma grande fonte de apoio e de encorajamento.
4) Mude o hábito de colocar defeito nas coisas e de ver apenas o que as pessoas têm de pior. Combata o costume de ter uma opinião formada sobre tudo.

5) Redescubra as coisas que lhe dão prazer. Fique atento as suas necessidades. Cuide de sua mente, de seu corpo e de sua saúde.
6) Fique atento às necessidades dos outros. Contribuição e compaixão aumentam a resiliência.

7) Resiliência não é rejeitar ou ignorar as emoções negativas, mas apenas não permitir que elas controlem você. Fique atento!


Fonte: Folha Dirigida
Leia Mais...

PRF solicita novo concurso para preencher 1.500 vagas

18 junho 2014
Polícia Rodoviária Federal

Polícia Rodoviária Federal encaminhou pedido para o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão

Mais uma ótima oportunidade de ingresso na área de segurança pública. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) encaminhou, no dia 30 de maio, solicitação de concurso ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) para o preenchimento de 1.500 vagas para o cargo de policial rodoviário federal. 
O pedido do concurso já passou pela assessoria técnica e administrativa, secretária executiva, secretaria de gestão pública e, desde o último dia 3, está no gabinete da secretaria de gestão pública do MPOG.
Para concorrer ao cargo é necessário possuir curso de nível superior em qualquer área de formação e carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A remuneração inicial da carreira é de R$ 6.418,25, com jornada de trabalho de 40 horas semanais.
Entre as atribuições do cargo, os servidores desenvolverão atividades de natureza policial envolvendo fiscalização, patrulhamento e policiamento ostensivo, atendimento e socorro às vitimas de acidentes rodoviário e demais atribuições com a área operacional do Departamento de Polícia Rodoviária Federal.
Durante o exercício, o servidor conta com melhorias salariais. Ao ingressar, na terceira classe, após o padrão inicial, a carreira conta com mais dois, com remunerações, respectivamente, de R$ 6.482,43 e R$ 6.547,26. Na segunda classe, a carreira conta com seis padrões: I – R$ 7.830,27; II – 7.908,57; III – R$ 7.987,66, IV – R$ 8.067,53, V – R$ 8.148,21; e VI _ R$ 8.229,69.
 Na primeira classe são mais seis: I – R$ 8.942,59; II – R$ 9.210,87; III – R$ 9.487,19; IV – R$ 9.771,81; V – R$ 10.064,96; e VI – R$ 10.366,91. Finalmente, na classe especial, existem três padrões: I – R$ 10.968,98; II – R$ 11.318,59 e III – R$ 11.65,15.
Último concurso
O último concurso para o cargo ocorreu em 2013 e foi organizado pelo Cespe/UnB. Ao todo foram registrados 109.769 inscritos para a oferta de mil vagas. A seleção contou com prova objetiva, exame discursivo, teste de capacidade física, avaliação de saúde, avaliação psicológica, investigação social e análise de títulos.
A parte objetiva contou com 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos. Conhecimentos básicos contou com temas sobre língua portuguesa, matemática, noções de direito constitucional, ética no serviço público e noções de informática. Já em conhecimentos específicos, noções de direito administrativo, noções de direito penal, noções de direito processual penal, legislação especial, direitos humanos e cidadania,  legislação relativa ao DPRF e física aplicada à perícia de acidentes rodoviários.
Fonte: Tribuna Hoje

Leia Mais...

Conab - Inscrições até domingo 22/06/14 - R$5.485,07

17 junho 2014
A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) inscreve até este domingo, 22 de junho, os interessados nas 219 vagas de analista, cargo para graduados em várias áreas. A remuneração inicial é de R$5.485,07, inclusos os R$373 do auxílio-alimentação. As oportunidades poderão aumentar durante a validade do concurso, de dois anos, podendo dobrar. O interessado deve acessar a página do Iades, organizadora, preencher o cadastro e imprimir o boleto da taxa de inscrição, no valor de R$46.
 
Para pedir isenção, o prazo já terminou, e o resultado provisório está previsto para esta sexta, 20 de junho. Os candidatos com deficiência têm até 23 de junho para enviar, via Sedex ou de forma presencial, ao Iades, o laudo médico original ou cópia autenticada. As provas objetivas serão no dia 20 de julho, em local e horário a serem divulgados a partir de 14 do mesmo mês. Os convocados serão contratados pelo regime celetista, e terão benefícios como assistência à saúde, auxílio-escola e seguro de vida. 
Leia Mais...